Formulário de Contato

Projeto QualiTOPAMA fortalece o acesso da população às ações e serviços de saúde em Tocantins, Pará e Maranhão

Projeto QualiTOPAMA fortalece o acesso da população às ações e serviços de saúde em Tocantins, Pará e Maranhão

As ações contam com o protagonismo de graduandos(as) da Sala de Situação de Saúde (UnB), além de assessores técnicos

O QualiTOPAMA, projeto Central de Qualificação das Ações de Vigilância em Saúde, Fortalecimento e Organização da Rede de Saúde Interfederativa – Rede TOPAMA, atua em conjunto a 30 municípios, sendo 14 tocantinenses, 9 maranhenses e 7 paraenses. No Maranhão, são os municípios de Açailândia, Amarante do Maranhão, Campestre do Maranhão, Davinópolis, Estreito, Imperatriz, Itinga do Maranhão, João Lisboa e Porto Franco. No Pará,  Bom Jesus do Tocantins, Brejo Grande do Araguaia, Dom Eliseu, Itupiranga, Marabá, Rondon do Pará e São Domingos do Araguaia. Em Tocantins, Ananás, Angico, Aragominas, Araguaína, Araguanã, Araguatins, Augustinópolis, Carmolândia, Darcinópolis, Luzinópolis, Piraquê, Santa Fé do Araguaia, Tocantinópolis e Wanderlândia.

O objetivo do QualiTOPAMA é facilitar o acesso da população a ações e serviços de saúde, além de auxiliá-los no que diz respeito à racionalização de gastos e otimização de recursos. Veja abaixo a região-alvo do projeto:

Foto: Mapa região TOPAMA – Tocantins, Pará e Maranhão.

Desde o início do projeto, já foram desenvolvidas ações nos municípios Açailândia (MA), Ananás (TO), Brejo Grande do Araguaia (PA), Campestre do Maranhão (MA), Carmolândia (TO), Itupiranga (PA) e Piraquê (TO). Por exemplo, no eixo educacional, que visa a formação de professores locais com o objetivo de formar multiplicadores das ações em vigilância em saúde, o projeto aplicou um curso de capacitação em oficinas pedagógicas para professores do município de Rondon, no Pará (PA). Da mesma forma, adaptada à realidade local, a oficina aplicada no município Santa Fé do Araguaia. em Tocantins (TO), abordou fortemente a importância da vacinação e da prevenção à dengue. 

Foto: Ações em Santa Fé do Araguaia (TO)

O projeto é executado pela Universidade Federal do Tocantins (UFT), Ministério da Saúde (MS) e pela Fundação de Apoio Científico e Tecnológico do Tocantins (Fapto) Governos dos Estados do Tocantins, Pará e Maranhão e suas Secretarias Estaduais e Municipais de Saúde. Além disso, também conta com o apoio de assessoria epidemiológica da Sala de Situação de Saúde (SDS) da Universidade de Brasília (UnB). 

A parceria entre o projeto e a Sala de Situação de Saúde (FS/UnB) ocorreu meados de 2020 com data de término prevista para fevereiro de 2021, entretanto, dado o sucesso da parceria e renovação do prazo de vigência do projeto junto aos órgãos competentes, o vínculo foi estendido mais duas vezes e, atualmente, está com data de término prevista para dezembro deste ano.

A equipe do Projeto Central QualiTOPAMA que representa a Sala de Situação (FS/UnB) desde o início foi majoritariamente composta por graduandos da Universidade de Brasília (UNB). Dada a duração do projeto, à medida em que alguns membros encerraram o vínculo,  novos processos seletivos foram abertos. Atualmente, essa equipe é composta por quatro alunos de graduação (sendo três bolsistas e um voluntário) e uma assessora técnica. São graduandos(as): Eduarda Grillo Cunha  e Yan Rodrigues Esteves, do curso Saúde Coletiva, e Esthefani Lays Martins da Silva e Letícia Guimarães Carrijo Moreira, do curso de Farmácia. Compõem ainda a equipe Vanessa Porto, assessora técnica, e Jonas Brant, coordenador Geral da SDS/UnB.

Foto: Eduarda e Esthefani no embarque para o trabalho de campo 

Dentre as atividades requisitadas aos membros da Sala de Situação de Saúde  (FS/UnB), estão o auxílio na assessoria técnico-científica nas ações voltadas para as intervenções diagnóstica e comunicacional , a participação da coleta e processamento de dados de pesquisa diagnóstica e a participação da produção de conteúdo para divulgação nas redes sociais.

Para atender à demanda dos municípios, em 2020, também foram produzidos cerca de 30 Boletins Epidemiológicos (um para cada município, contendo informações sobre a Covid-19 e o PQA-VS), um curso sobre o Programa de Qualificação das Ações de Vigilância em Saúde (PQA-VS), além da elaboração de um diagnóstico situacional para ida a campo em cenário de pandemia. Na época, também houve a produção de textos para divulgação do projeto que foram publicados no site da SDS, bem como a estruturação do RedCap para coleta de dados.

Em 2021, foram produzidos novos Boletins Epidemiológicos para acompanhamento mensal da Covid-19, além da Análise de Série Histórica do PQA-VS (2013-2018) para os referidos municípios. Além disso, bolsistas da UFT foram a campo para coletar dados utilizando a plataforma RedCap desenvolvida por membros da SDS.

Neste ano, foi produzido um Boletim Epidemiológico que compila os dados a respeito da pandemia durante o ano de 2021 e analisa o desempenho das cidades no PQA-VS entre 2020 e 2021, além da efetivação da ida a campo a 9 municípios para apresentação do curso sobre o PQA-VS que representa um módulo do curso de Gestão e Planejamento em Saúde Pública hospedado no AVA UFT, além da estruturação do moodle SDS para hospedar novos cursos. 

Ao todo, a equipe da SDS contribuiu com cerca de 180 boletins epidemiológicos, uma Análise de Série Histórica, um curso, modelos lógicos sobre o PQA-VS, diagnóstico situacional, estruturação da plataforma RedCap e moodle.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Precisa da nossa ajuda?
A Sala de situação quer te apoiar a melhorar seu trabalho, conte conosco para fortalecer a vigilância em saúde em sua área de atuação.

    pt_BRPT_BR