Formulário de Contato

Projeto QualiTOPAMA fortalece o acesso da população às ações e serviços de saúde em Tocantins, Pará e Maranhão

Projeto QualiTOPAMA fortalece o acesso da população às ações e serviços de saúde em Tocantins, Pará e Maranhão

As ações contam com o protagonismo de graduandos(as) da Sala de Situação de Saúde (UnB), além de assessores técnicos

O QualiTOPAMA, projeto Central de Qualificação das Ações de Vigilância em Saúde, Fortalecimento e Organização da Rede de Saúde Interfederativa – Rede TOPAMA, atua em conjunto a 30 municípios, sendo 14 tocantinenses, 9 maranhenses e 7 paraenses. No Maranhão, são os municípios de Açailândia, Amarante do Maranhão, Campestre do Maranhão, Davinópolis, Estreito, Imperatriz, Itinga do Maranhão, João Lisboa e Porto Franco. No Pará,  Bom Jesus do Tocantins, Brejo Grande do Araguaia, Dom Eliseu, Itupiranga, Marabá, Rondon do Pará e São Domingos do Araguaia. Em Tocantins, Ananás, Angico, Aragominas, Araguaína, Araguanã, Araguatins, Augustinópolis, Carmolândia, Darcinópolis, Luzinópolis, Piraquê, Santa Fé do Araguaia, Tocantinópolis e Wanderlândia.

O objetivo do QualiTOPAMA é facilitar o acesso da população a ações e serviços de saúde, além de auxiliá-los no que diz respeito à racionalização de gastos e otimização de recursos. Veja abaixo a região-alvo do projeto:

Foto: Mapa região TOPAMA – Tocantins, Pará e Maranhão.

Desde o início do projeto, já foram desenvolvidas ações nos municípios Açailândia (MA), Ananás (TO), Brejo Grande do Araguaia (PA), Campestre do Maranhão (MA), Carmolândia (TO), Itupiranga (PA) e Piraquê (TO). Por exemplo, no eixo educacional, que visa a formação de professores locais com o objetivo de formar multiplicadores das ações em vigilância em saúde, o projeto aplicou um curso de capacitação em oficinas pedagógicas para professores do município de Rondon, no Pará (PA). Da mesma forma, adaptada à realidade local, a oficina aplicada no município Santa Fé do Araguaia. em Tocantins (TO), abordou fortemente a importância da vacinação e da prevenção à dengue. 

Foto: Ações em Santa Fé do Araguaia (TO)

O projeto é executado pela Universidade Federal do Tocantins (UFT), Ministério da Saúde (MS) e pela Fundação de Apoio Científico e Tecnológico do Tocantins (Fapto) Governos dos Estados do Tocantins, Pará e Maranhão e suas Secretarias Estaduais e Municipais de Saúde. Além disso, também conta com o apoio de assessoria epidemiológica da Sala de Situação de Saúde (SDS) da Universidade de Brasília (UnB). 

A parceria entre o projeto e a Sala de Situação de Saúde (FS/UnB) ocorreu meados de 2020 com data de término prevista para fevereiro de 2021, entretanto, dado o sucesso da parceria e renovação do prazo de vigência do projeto junto aos órgãos competentes, o vínculo foi estendido mais duas vezes e, atualmente, está com data de término prevista para dezembro deste ano.

A equipe do Projeto Central QualiTOPAMA que representa a Sala de Situação (FS/UnB) desde o início foi majoritariamente composta por graduandos da Universidade de Brasília (UNB). Dada a duração do projeto, à medida em que alguns membros encerraram o vínculo,  novos processos seletivos foram abertos. Atualmente, essa equipe é composta por quatro alunos de graduação (sendo três bolsistas e um voluntário) e uma assessora técnica. São graduandos(as): Eduarda Grillo Cunha  e Yan Rodrigues Esteves, do curso Saúde Coletiva, e Esthefani Lays Martins da Silva e Letícia Guimarães Carrijo Moreira, do curso de Farmácia. Compõem ainda a equipe Vanessa Porto, assessora técnica, e Jonas Brant, coordenador Geral da SDS/UnB.

Foto: Eduarda e Esthefani no embarque para o trabalho de campo 

Dentre as atividades requisitadas aos membros da Sala de Situação de Saúde  (FS/UnB), estão o auxílio na assessoria técnico-científica nas ações voltadas para as intervenções diagnóstica e comunicacional , a participação da coleta e processamento de dados de pesquisa diagnóstica e a participação da produção de conteúdo para divulgação nas redes sociais.

Para atender à demanda dos municípios, em 2020, também foram produzidos cerca de 30 Boletins Epidemiológicos (um para cada município, contendo informações sobre a Covid-19 e o PQA-VS), um curso sobre o Programa de Qualificação das Ações de Vigilância em Saúde (PQA-VS), além da elaboração de um diagnóstico situacional para ida a campo em cenário de pandemia. Na época, também houve a produção de textos para divulgação do projeto que foram publicados no site da SDS, bem como a estruturação do RedCap para coleta de dados.

Em 2021, foram produzidos novos Boletins Epidemiológicos para acompanhamento mensal da Covid-19, além da Análise de Série Histórica do PQA-VS (2013-2018) para os referidos municípios. Além disso, bolsistas da UFT foram a campo para coletar dados utilizando a plataforma RedCap desenvolvida por membros da SDS.

Neste ano, foi produzido um Boletim Epidemiológico que compila os dados a respeito da pandemia durante o ano de 2021 e analisa o desempenho das cidades no PQA-VS entre 2020 e 2021, além da efetivação da ida a campo a 9 municípios para apresentação do curso sobre o PQA-VS que representa um módulo do curso de Gestão e Planejamento em Saúde Pública hospedado no AVA UFT, além da estruturação do moodle SDS para hospedar novos cursos. 

Ao todo, a equipe da SDS contribuiu com cerca de 180 boletins epidemiológicos, uma Análise de Série Histórica, um curso, modelos lógicos sobre o PQA-VS, diagnóstico situacional, estruturação da plataforma RedCap e moodle.

Deja una respuesta

Tu dirección de correo electrónico no será publicada.

Este sitio usa Akismet para reducir el spam. Aprende cómo se procesan los datos de tus comentarios.

Precisa da nossa ajuda?
A Sala de situação quer te apoiar a melhorar seu trabalho, conte conosco para fortalecer a vigilância em saúde em sua área de atuação.

    es_ESES