Formulário de Contato

Aplicativo de vigilância participativa auxilia universidade no retorno presencial seguro

Aplicativo de vigilância participativa auxilia universidade no retorno presencial seguro

Ferramenta, que proporciona a participação ativa da população, também está disponível gratuitamente a toda a comunidade

Por: Comunicação SDS

Desenvolvido pela Associação Brasileira de Profissionais de Epidemiologia de Campo (ProEpi), o Guardiões da Saúde é um aplicativo de vigilância participativa para dispositivos móveis. Por meio do Guardiões, as pessoas registram seu estado de saúde e ajudam a mapear a situação do DF e do Brasil, ajudando a bloquear cadeias de transmissão – por exemplo, da Covid 19. O Guardiões da Saúde estima mais de 9 mil usuários ativos e cerca de 30 mil downloads até maio deste ano. Com parceria da Sala de Situação de Saúde (SDS/UnB), este é o 1º aplicativo de Vigilância Participativa no país.

As estratégias do Guardiões da Saúde

No Guardiões da Saúde, a própria população exerce um papel ativo no processo de vigilância, possibilitando a identificação de alterações no padrão epidemiológico das doenças, por meio de participações voluntárias em que a pessoa informa sua situação de saúde diariamente. Esse tipo de vigilância tornou-se uma estratégia positiva para a construção de cenários epidemiológicos com a participação da população, já que no modelo tradicional de vigilância, as notificações vêm dos diagnósticos dados pelas instituições de saúde. 

Quando o usuário do aplicativo reporta determinados sintomas, o software gera os dados para o acompanhamento mais próximo das equipes de saúde.  A iniciativa pode ser personalizada e implementada em outras instituições, como um projeto colaborativo em que equipes podem aprimorar as configurações para o uso de entidades parceiras.  Todos os dados obtidos por meio do aplicativo são utilizados para estratégias de análise da situação de saúde e disseminação de informação de qualidade. 

Ao baixar o Guardiões da Saúde, a comunidade também tem acesso a diversas informações de qualidade relacionadas à saúde, tais como notícias, links e telefones úteis. Boletins e notificações também são divulgados no feed de notícias do aplicativo. Conforme o recente Boletim Epidemiológico divulgado pelo Guardiões da Saúde, os dados coletados no aplicativo permitem o delineamento de padrões epidemiológicos e contribuem para o monitoramento de saúde pública, de modo que os serviços de saúde se antecipem a eventuais surtos e elaborem planos de contingência. 

O Guardiões da Saúde na vigilância ativa institucional

O retorno presencial da UnB está previsto para o próximo mês de junho, após dois anos de aulas remotas devido ao contexto de pandemia. O uso do aplicativo permite a investigação da situação de saúde da equipe em relação à pandemia de coronavírus, com a execução da identificação, listagem e monitoramento de casos e, ainda, recomendações de isolamento e medidas de biossegurança a serem tomadas. 

Natália Macedo, graduanda do curso de Nutrição da UnB, afirma que considera o Guardiões ainda mais necessário nos próximos meses. “Eu acho que o Guardiões seria essencial ao retorno presencial – em que haverá uma aglomeração maior –  porque a gente sabe que os números de Covid não sumiram. Sempre tem gente com Covid, mesmo com a vacina” cita Natália. Ela conta que participa como usuária do Guardiões da Saúde desde a criação do aplicativo. Quando estava com suspeita de Covid 19, ela relatou ao aplicativo e o considerou eficaz no mapeamento da situação de saúde da UnB e do DF. Segundo informações oficiais da instituição, o público submetido à retomada de aulas presenciais é composto por mais de 39 mil discentes da graduação, mais de 8 mil na pós-graduação, além de cerca de 7 mil pessoas entre docentes, técnicos e trabalhadores terceirizados. 

Ao relatarem assiduamente a sua saúde no app, alunos da UnB também receberão créditos para sua graduação e auxiliam no monitoramento da Covid 19 na instituição. Para isso, ao se cadastrar, o aluno deve vincular o seu perfil à UnB. Automaticamente, é liberada a opção de vigilância ativa institucional.  Semestralmente, desde o seu início, o Guardiões lança cerca de 7 mil menções. Maria Vitória Cruz, gestora de projeto do Guardiões da Saúde, afirma que há uma média de 9 mil reports diários no aplicativo durante o período de aulas. Ela afirma que “é um projeto grande que tem potencial de ser ampliado”. Ela cita instituições diversas que fazem uso do aplicativo, tais como Universidade Federal de São Carlos (UFSCar), Instituto Federal no Norte de Minas Gerais (IFNMG) e o Hospital Universitário de Brasília (HUB). Segundo a gestora, cerca de 2.500 casos de Covid foram monitorados via vigilância ativa na qual “o Guardiões foi a chave do processo”. 

Outras experiências 

Inicialmente, o aplicativo Guardiões da Saúde surgiu como uma ferramenta de vigilância participativa desenvolvida pelo Ministério da Saúde, em 2007, para monitorar eventos de grande porte no Brasil, sendo utilizado durante a Copa do Mundo Fifa de 2014. Em 2016, o aplicativo foi utilizado novamente nos Jogos Olímpicos e Paraolímpicos no Rio de Janeiro, graças a uma parceria entre Skoll Global Threats Found (SGTF), o Ministério da Saúde, a startup Epitrack e a ProEpi. Desde então, ele tem sido trabalhado no aprimoramento e desenvolvimento do aplicativo, levando-o para a Colômbia por ocasião da visita do Papa ao país. Em 2020, ele foi adaptado para o contexto pandêmico.

Nos Estados Unidos, o aplicativo Outbreaks Near Me desenvolve um trabalho semelhante ao do Guardiões. Criado por epidemiologistas, Harvard, voluntários e desenvolvedores de software do Hospital Infantil de Boston, o sistema utiliza os dados do aplicativo para visualizar mapas e ajudar cidadãos e agências de saúde pública a identificar pontos de acesso atuais e potenciais para a Covid 19 e gripe. 

Cenários Futuros

Atualmente, o Guardiões da Saúde apoia intensivamente no cenário da Covid 19, mas a ferramenta pode ser utilizada em outros cenários, como aponta o coordenador da Sala de Situação (SDS) Jonas Brant. Para ele, a ferramenta é útil para Covid, mas pode ser para novos cenários no futuro, como o exemplo da varíola símia (atualmente conhecida por varíola dos macacos). 

Como usá-lo 

Para participar, basta baixar gratuitamente o aplicativo “Guardiões da Saúde” na Play Store ou na Apple Store do seu celular. Em seguida, inscreva-se no aplicativo e utilize-o diariamente, relatando-o sobre seu estado de saúde no momento. As informações também podem ser compartilhadas entre amigos e familiares, aumentando a efetividade da vigilância. O aplicativo é aberto para toda a comunidade. 

Para baixar o Guardiões da Saúde, acesse aqui para App Store ou aqui para Play Store.

REFERÊNCIAS:

Guardiões da Saúde. Disponível em https://www.instagram.com/guardioesdasaudeunb/
Outbreaks Near Me. Disponível em https://outbreaksnearme.org/

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Precisa da nossa ajuda?
A Sala de situação quer te apoiar a melhorar seu trabalho, conte conosco para fortalecer a vigilância em saúde em sua área de atuação.

    pt_BRPT_BR