Formulário de Contato

18. A IMPORTÂNCIA DAS CRIANÇAS E A VOLTA ÀS AULAS NA DISSEMINAÇÃO DA COVID-19

Um estudo recente realizado pela universidade de Harvard (Lael et. al.,
2020), mostrou que as crianças possuem um importante e grande papel na
disseminação da doença causada pelo novo coronavírus. Entender isso, é
fundamental para se realizar os planos de retomada das escolas, uma vez que os alunos podem conviver com pessoas do grupo de riso e servirem como porta de entrada para a doença em suas casas (UFMG, 2020).
De acordo com Lael et. al (2020) as crianças e adolescentes são importantes
disseminadores do vírus, uma vez que estes apresentam um alto índice viral, mesmo em casos de infecções leves e/ou de infecções assintomáticas. Este estudo foi realizado com crianças e adolescentes de zero a 22 anos, e grande parte dessas pessoas analisadas que apresentaram o teste positivo, ou eram assintomáticas ou possuíam sintomas inespecíficos, principalmente entre os jovens na faixa etária dos 11 aos 16 anos.
Quando presente os sintomas, na maioria dos casos relatados, não foram
específicos para a COVID-19 (Safadi, 2020). Assim, será difícil saber se aquela criança está ou não realmente infectada com o novo coronavírus, mais difícil ainda será saber em épocas de alergias e outras afecções respiratórias, como as gripes e resfriados. Mesmo essas crianças consideradas assintomáticas, o índice de carga viral, foi consideravelmente maior que o índice de carga viral de adultos hospitalizados (Leal et. al, 2020).
Com esse resultado, deve-se tomar cuidado com o potencial de
contaminação desses jovens, principalmente quando analisado a situação de volta as aulas de maneira presencial, visto que essa modalidade pode proporcionar aglomerações entre as crianças. Ainda, a WHO (World Health Organization, 2020) acredita que a aferição da temperatura e avaliação dos sintomas na entrada das escolas, não seja o suficiente para realizar a detecção da COVID-19 nas crianças. Tendo em vista a vontade de se voltar com as aulas de maneira presencial, além das medidas de prevenção como o uso de máscaras, higienização das mãos, limpeza dos ambientes, as escolas podem também realizar o rastreamento rotineiro de estudantes positivos para o novo vírus a fim de estabelecer protocolos eficazes para a segurança de todos (CDC, 2020), mas sabemos que essa opção é difícil acontecer em todas as escolas do país.
Sem realizar as medidas de controle e prevenção da infecção, ignorando os
fatos, deixando de lado a importância da disseminação entre a população de estudantes, existe a possibilidade da pandemia persistir por um tempo considerável ainda, visto que esses alunos podem carregar o vírus para suas casas e infectar parentes, principalmente aqueles que pertencem ao grupo de risco (UFMG, 2020).

Referências:

  • CDC, Center for Disease Control and Prevention. Contact Tracing. Atualizado online em 3 de setembro de 2020, disponível em https://www.cdc.gov/coronavirus/2019-ncov/daily-life-coping/contact-tracing.html. Acesso em 14 de setembro de 2020.
  • Faculdade de Medicina da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Apesar de afetar menos as crianças, elas precisam de maior atenção durante pandemia. Publicado em 07 de maio de 2020, disponível online em https://www.medicina.ufmg.br/covid-19-afeta-menos-as-criancas-mas-elas-necessitam-de-maior-atencao-durante-a-pandemia/. Acesso em 01 de setembro de 2020.
  • Lael M. Yonker; Anne M. Neilan; Yannic Bartsch; Ankit B. Patel; James Regan; Puneeta Arya; Elizabeth Gootkind; Grace Park; Margot Hardcastle; Anita St. John; Lori Appleman; Michelle L. Chiu; Allison Fialkowski; Denis De la Flor; Rosiane Lima; Evan A. Bordt; Laura J. Yockey; Paolo D’Avino; Stephanie Fischinger; Jessica E. Shui; Paul H. Lerou; Joseph V. Bonventre; Xu G. Yu; Edward T. Ryan; Ingrid V. Bassett; Daniel Irimia; Andrea G. Edlow; Galit Alter; Jonathan Z. Li; Alessio Fasano. Pediatric SARS-CoV-2: Clinical Presentation, Infectivity, and Immune Responses. The Journal of Pediatrics, San Luis, Missouri, 19 de Agosto de 2020. DOI: https://doi.org/10.1016/j.jpeds.2020.08.037.
  • Safadi, M. A. P. As características intrigantes da COVID-19 em crianças e seu impacto na pandemia. Jornal de Pediatria, Rio de Janeiro, vol 96, número 3, pp. 265-268. 29 de junho de 2020. DOI: http://dx.doi.org/10.1016/j.jped.2020.04.001.
  • WHO, World Health Organization. Updated WHO recommendations for international traffic in relation to COVID-19 outbreak. Publicado online em 29 de fevereiro de 2020, disponível em https://www.who.int/news-room/articles-detail/updated-who recommendations-for-international-traffic-in-relation-to-covid-19-outbreak#:~:text=Temperature%20screening%20alone%2C%20at,tracing%20of%20incoming%20travellers. Acesso em 14 de setembro de 2020.

Comment on this FAQ

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Precisa da nossa ajuda?
A Sala de situação quer te apoiar a melhorar seu trabalho, conte conosco para fortalecer a vigilância em saúde em sua área de atuação.