FAQ

Onde encontrar as fichas de notificações atualizadas?

As fichas de notificação para as diversas doenças e agravos podem ser encontradas no seguinte site: http://portalsinan.saude.gov.br/

Basta visualizar o item do lado esquerdo da página do site chamado “ACESSO À INFORMAÇÃO”. Logo após clique em “Doenças e Agravos”. Aparecerá em ordem alfabética a lista das principais Doenças e Agravos contendo em cada uma delas algumas informações e a ficha de notificação para tal.

Sobre Doenças e Agravos não transmissíveis, são considerados os agravos intitulados “Violência doméstica e/ou outras violências e Violência sexual e tentativa de suicídio” como parte da lista nacional de notificação compulsória de doenças, agravos e eventos de saúde pública e por isso esses agravos possuem uma ficha de notificação específica para Violência pessoal/autoprovocada. 

É importante relatar que as as fichas de notificação podem passar por atualizações e para que não ocorra o preenchimento das mesmas com modelos antigos, os profissionais dos serviços de saúde precisam estar atentos aos sites oficiais do Ministério da Saúde a fim de ter em mãos os documentos atualizados.

 

O que são os Grupos Condutores?

Os grupos condutores são grupos responsáveis por acompanhar a implantação e monitoramento das Rede de Atenção à Saúde, além de promover colaboração para fortalecer a Vigilância em Saúde com os diferentes níveis de atenção. Esses grupos têm a responsabilidade de planejar, coordenar e avaliar a implementação das políticas de saúde em determinada região ou município. Eles são compostos por representantes de diferentes setores da sociedade, incluindo gestores de saúde, profissionais de saúde, usuários do sistema e representantes da comunidade.

Esses grupos têm como finalidade promover a participação social na gestão do SUS, garantindo que as decisões relacionadas à saúde sejam tomadas de forma democrática e transparente. Eles são responsáveis por elaborar planos de saúde locais, definir prioridades, propor ações e avaliar os resultados alcançados. Além disso, também atuam no monitoramento e controle social das políticas de saúde, buscando garantir a qualidade e efetividade dos serviços oferecidos à população.

Como é feita e quem participa da referência e da contra referência de pacientes?

A referência e a contrarreferência tem como objetivo garantir atenção integral ao paciente e a troca de informações na rede de atenção. A partir de sua estruturação, deve ser realizado o encaminhamento aos diferentes níveis de atenção. A referência ocorre quando a equipe da atenção primária encaminha o paciente para um especialista. Ao contrário da contra referência, o qual o nível especializado trata o paciente, acessando os dados que foram enviados pela APS, preenchendo com o diagnóstico e conduta realizada e faz o retorno do indivíduo com informações sobre seu atendimento e orientações para a APS, garantindo continuidade do cuidado e o acompanhamento necessário do paciente. 

Existe algum guia de como utilizar os sistemas de informação que minha UBS utiliza no dia a dia? (Quais?)

Existem manuais que auxiliam profissionais de saúde na capacitação e acesso aos diferentes sistemas de informação como SINAN, e-SUS, TABNET, SIAB e SIM disponibilizados pelo próprio Ministério de Saúde.

Manual SINAN (Sistema de Informação de Agravos de Notificação)

Manual e-SUS Atenção Primária

Manual TABNET (Informações de Saúde - DATASUS)

Manual SIAB (Sistema de Informação da Atenção Básica)

Manual SIM (Sistema de Informações sobre Mortalidade)

Como posso solicitar contato com a equipe do projeto?

O Projeto DANT foi realizado por alunos e professores da Sala de Situação de Saúde da Universidade de Brasília e está localizado na Faculdade de Ciências da Saúde (FS) na UnB (Campus Darcy Ribeiro - CEP 70910-900). Para entrar em contato, possuímos o e-mail do projeto: projetodant@gmail.com; e-mail geral: sds@unb.br e nosso site: https://sds.unb.br/

Qual a diferença entre Vigilância em Saúde e Atenção Primária?

A Atenção Primária é a porta de entrada do Sistema Único de Saúde (SUS), sendo geralmente fornecida nos Centros de Saúde, Unidades Básicas de Saúde (UBS) ou Clínicas de Atenção Primária. Seu principal objetivo é oferecer cuidados de saúde acessíveis, abrangentes e continuados à população. Engloba serviços como consultas médicas, atendimento de enfermagem, vacinação, prevenção e tratamento de doenças comuns, acompanhamento pré-natal, cuidados infantis, entre outros. A APS desempenha um papel fundamental na Vigilância e Inteligência do território. Por estar localizada na base do sistema de saúde e próxima às comunidades, onde se tem um contato mais próximo com a população, ela possui uma posição de monitoramento e acompanhamento da saúde dessas comunidades. Através da Atenção Primária é possível realizar a vigilância epidemiológica. 

 

Por sua vez, a Vigilância em Saúde é responsável pela coleta, análise e interpretação de dados sobre a ocorrência de doenças, agravos e outros eventos de importância para a saúde pública. Seu objetivo é monitorar e identificar precocemente problemas de saúde, riscos e tendências na população. A Vigilância em Saúde envolve a notificação obrigatória de certas doenças, investigação de surtos, análise de indicadores epidemiológicos, monitoramento de fatores de risco, entre outras atividades.

Como faço para ter acesso aos produtos feitos pelo projeto?

Os produtos que foram executados e finalizados pelo projeto, assim como materiais utilizados, galeria, nossa equipe e demais arquivos encontram-se no site seguinte site: https://sds.unb.br/dant.

Como a Atenção à Saúde e a Vigilância em Saúde se integram?

A integração entre Atenção à Saúde e Vigilância em Saúde é fundamental para uma abordagem eficaz na promoção da saúde e no controle de doenças. Algumas formas de integração incluem: Identificação e notificação de doenças, ações de prevenção, planejamento e resposta a surtos e o monitoramento de indicadores de saúde.

Qual é a abordagem de Violências na Atenção Primária à Saúde?

A abordagem de violências na Atenção Primária é de extrema importância, uma vez que os profissionais de saúde que atuam nesse nível têm um papel fundamental na identificação, acolhimento e encaminhamento adequado das vítimas de violência.

 

A Atenção Primária deve adotar uma abordagem integral e humanizada, considerando as diferentes formas de violência, como violência doméstica, abuso sexual, violência contra crianças, violência de gênero, entre outras. As vítimas de violência devem receber atendimento prioritário, garantindo a privacidade do atendimento e estabelecendo relações de confiança e respeito. 

 

É essencial que os profissionais de saúde estejam capacitados para identificar os sinais e sintomas de violência, terem conhecimento sobre os protocolos de atendimento e saiba como abordar as vítimas de forma empática e acolhedora. Durante as consultas de rotina, os profissionais de saúde devem estar atentos aos indicadores e sinais de violência, como lesões físicas inexplicadas, queixas de dor crônica, sintomas de estresse pós-traumático, depressão ou ansiedade, entre outros. Os profissionais devem criar um ambiente propício para que as vítimas possam relatar suas experiências, ouvindo-as de forma atenta, respeitosa e livre de julgamentos.O registro das informações é importante para garantir a continuidade do cuidado e a documentação dos casos de violência. É necessário manter a confidencialidade das informações, seguindo os protocolos de segurança e privacidade. Quando identificada a violência, é fundamental que haja um encaminhamento adequado para os serviços especializados, como serviços de assistência social, centros de referência, delegacias especializadas. Além do atendimento às vítimas, a Atenção Primária deve investir em ações de prevenção, por meio da educação em saúde. Isso inclui orientar a população sobre direitos, prevenção de violências, promoção de relacionamentos saudáveis, igualdade de gênero e outros temas relacionados.

Quem faz parte da Vigilância em Saúde?

A Vigilância em Saúde é uma atividade que envolve a participação de diferentes profissionais e instituições. Alguns dos principais atores envolvidos na Vigilância em Saúde incluem profissionais de saúde, serviços de saúde pública, organizações internacionais de saúde, vigilância epidemiológica, vigilância sanitária e a participação ativa da comunidade e da população. A equipe de Atenção Básica desempenha um papel fundamental na Vigilância em Saúde ao detectar potenciais riscos à saúde da população. Seja por meio de acolhimento com escuta qualificada, estabelecendo um vínculo e identificando as necessidades de saúde das pessoas que procuram cuidados, ou através de visitas domiciliares e atendimentos nas Unidades Básicas de Saúde (UBS), é essencial que a equipe esteja preparada para contribuir com a identificação precoce de doenças e agravos à saúde, permitindo a implementação de ações oportunas, eficazes e efetivas.

Referências Bibliograficas

Atenção Primária à Saúde. Disponível em: <https://www.saude.pr.gov.br/Pagina/Atencao-Primaria-Saude>. Acesso em: 18 abr. 2023. Atenção Primária à Saúde: saiba mais sobre o significado dos termos referência e contrarreferência - TST. Disponível em: <https://www.tst.jus.br/-/aten%C3%A7%C3%A3o-prim%C3%A1ria-%C3%A0-sa%C3%BAde-saiba-mais-sobre-o-significado-dos-termos-refer%C3%AAncia-e-contrarrefer%C3%AAncia#:~:text=O%20sistema%20de%20refer%C3%AAncia%20e,do%20indiv%C3%ADduo%20como%20um%20todo.>. Acesso em: 18 abr. 2023. DE, M.; SANTOS, C. UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM ESTRATÉGIA SAÚDE DA FAMÍLIA SISTEMA DE REFERÊNCIA -CONTRARREFERÊNCIA EM SAÚDE EM SÃO SEBASTIÃO DA VITÓRIA, DISTRITO DE SÃO JOÃO DEL REI -MG: O PAPEL DA REDE NA ATENÇÃO BÁSICA. São João Del Rei -Polo Juiz de Fora-Minas Gerais. [s.l: s.n.]. Disponível em: <https://www.nescon.medicina.ufmg.br/biblioteca/imagem/Sistema_de_referencia_contrarreferencia.pdf>. ‌LAURIELLE SOUZA ANDRADE; IEDA FRANCISCHETTI. Referência e Contrarreferência: Compreensões e Práticas. Saúde & Transformação Social / Health & Social Change, v. 10, n. 1/2/3, p. 054–064, 2019. MANUAL DE REFERÊNCIA E CONTRARREFERÊNCIA DOS USUÁRIOS HOSPITALIZADOS NO HOSPITAL UNIVERSITÁRIO ANA BEZERRA. [s.l: s.n.]. Disponível em: <https://www.gov.br/ebserh/pt-br/hospitais-universitarios/regiao-nordeste/huab-ufrn/documentos-institucionais/arquivos-documentos-institucionais-geral/ma-ura-001.pdf>. MINISTÉRIO DA SÁUDE Brasília -DF 2018 MÓDULO 1: INTEGRAÇÃO ATENÇÃO BÁSICA E VIGILÂNCIA EM SAÚDE. [s.l.: s.n., s.d.]. Disponível em: <https://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/guia_politica_nacional_atencao_basica_integracao_atencao_basica_vigilancia_saude_modulo_1.pdf>. ‌ ‌Política Nacional de Vigilância em Saúde. Disponível em: <https://www.gov.br/saude/pt-br/assuntos/saude-de-a-a-z/p/politica-nacional-de-vigilancia-em-saude#:~:text=Entende%2Dse%20por%20Vigil%C3%A2ncia%20em,e%20atua%C3%A7%C3%A3o%20em%20condicionantes%20e>. Acesso em: 18 abr. 2023. Violência contra a Mulher – BVS Atenção Primária em Saúde. Disponível em: <https://aps-repo.bvs.br/decs/violencia-contra-a-mulher/#:~:text=Como%20o%20profissional%20da%20aten%C3%A7%C3%A3o,rela%C3%A7%C3%A3o%20de%20confian%C3%A7a%20e%20respeito1.>.  Acesso em: 05 maio. 2023.
pt_BRPT_BR